21Ago
Slide1 1 1024x512

Como planejar um programa de treinamento de idiomas in-company?

Como planejar um programa de treinamento de idiomas in-company?

 

Oferecer cursos in company vem sendo uma saída interessante para empresas que querem investir no desenvolvimento de seus colaboradores.

Os cursos in company são ministrados na própria empresa, são de fácil alcance a todos os profissionais, que não precisam se deslocar e, muitas vezes, nem alterar o horário de trabalho e se beneficiam de uma integração já existente, por trabalharem todos na mesma organização.

O foco é sempre capacitar os trabalhadores para que possam desenvolver suas atividades de uma maneira mais eficiente, levando mais ganhos às corporações. Um dos treinamentos mais comuns é o de idiomas, devido à grande importância da comunicação nos negócios.

Para ajudar na implantação de um programa de idiomas in company, veja a seguir alguns passos a serem considerados:

Público: o primeiro passo é estabelecer quem terá acesso ao programa, se ele será oferecido para todos os funcionários ou àqueles profissionais que precisam adquirir essa competência.

Idioma: definido o público, é preciso escolher qual idioma é estratégico para os negócios. A empresa poderá oferecer subsídio para apenas um ou para mais idiomas.

Simultaneidade: é preciso estabelecer regras para a possibilidade de o profissional participar, simultaneamente, de mais de um treinamento com idiomas diferentes.

Aulas: cabe ao profissional de Recursos Humanos definir se as aulas serão realizadas na empresa (in-company) ou em outro local.

Subsídio: a definição do subsídio está relacionada diretamente com a previsão orçamentária da empresa. A maioria das companhias oferece subsídio parcial para que o aluno demonstre mais comprometimento com o treinamento. Outras assumem 100% dos gastos quando o treinamento é direcionado para diretores, presidentes, expatriados e profissionais que farão treinamento rápido no exterior e serão os multiplicadores do que vierem a aprender. A subvenção mais comum é de 70% do valor do curso.

Regras para manutenção do benefício: uma das maneiras de manter o profissional comprometido é condicionar o pagamento a indicadores como frequência e desempenho. Algumas empresas definem padrões nos quais os percentuais de subsídio variam de acordo com as notas e a frequência.

Avaliações periódicas: além de acompanhar o desempenho mensal do funcionário, recomenda-se prever avaliações periódicas. O ideal é fazer duas avaliações escritas e orais por estágio.

Pagamentos: definido o percentual do subsídio e as regras para manutenção do benefício, é preciso estabelecer os procedimentos para pagamentos. A empresa pode optar por pagar integralmente o valor devido à empresa fornecedora, descontando em folha a parcela do funcionário. Há ainda a possibilidade de o funcionário realizar o pagamento integral e solicitar o reembolso à empresa. O fornecedor também pode cobrar a parte da empresa e dos alunos em separado.

Faltas: uma vez iniciado o treinamento pode ocorrer que alguns colaboradores faltem nas aulas, em decorrência de problemas de saúde, férias, entre outras circunstâncias. É necessário planejar estas questões, antecipadamente, e decidir se alguma situação seria classificada como falta justificada ou se devem ser contabilizadas como ausências.

Suspensão do treinamento: a política de idiomas deve prever soluções para situações adversas, como férias e licenças maternidade ou por motivos de saúde, com prazos mínimos e máximos estabelecidos.

Demissão do funcionário: para evitar problemas, a empresa deve deixar claro, desde o início do programa, que a demissão representará o fim do subsídio.

Desistência: quando a empresa opta por aulas in-company, as escolas, em geral, cobram por hora-aula por meio de um rateio entre os participantes de cada grupo. Como as desistências são um fato, os valores vão ficando mais elevados para os alunos que se mantêm no grupo. A empresa precisa prever se haverá alguma cláusula sobre desistência no decorrer dos estágios. Há empresas que fazem seus funcionários participarem do rateio até o término do estágio no qual ele estava estudando. Ele só sai do rateio oficial quando o grupo inicia um novo estágio, sendo esse um momento para encaixes nos grupos já existentes.

Período de subvenção: há empresas que determinam a subvenção apenas até o nível intermediário ou por um determinado número de horas de treinamento. Mas vale ressaltar que mesmo após adquirir um nível avançado do idioma estrangeiro é preciso mantê-lo.

Caso a sua empresa planeje implantar um programa de idiomas, entre em contato com a Brava Training! Fornecemos assessoria neste processo, atuamos com a entrega dos treinamentos e ofertamos ferramentas de medição de resultados através de Sistema de Gerenciamento de Treinamento on-line.

Compartilhe:

Posts RecentesCategoriasTags